Navigation Menu+

Biografia

foto juli site

 

Baixar CV

[Recife, PE, 1975] (Vive e trabalha entre Recife-PE, Rio de Janeiro-RJ e Belém-PA.)

“Juliana Notari tem criado um corpo de trabalhos que encaram suas singularidades, transitando por entre a biografia, o confessional, a catarse ou práticas relacionais. Com ênfases e modos de operação diversos, traumas, desejos, fantasias e medos são recolocados em performances, vídeos, instalações e objetos, instaurando relações entre subjetividades (notadamente, pelos vínculos estabelecidos entre artista-obra-público) que, por sua vez, configuram o eixo central da obra da artista. E assim Notari filia-se a um pequeno grupo de artistas cuja obra refere-se menos à arte que à natureza humana.”

Clarissa Diniz, 2011

 

Artista, doutoranda e mestre em Artes Visuais pelo PPGARTES/UERJ, é graduada em Artes Visuais pela UFPE (2003). Nos últimos seis anos vive e trabalha em Belém, PA, Rio de Janeiro, RJ e Recife, PE. Artista e pesquisadora na área de Artes, trabalha com as mais diversas linguagens (instalações, performances, fotografias, desenhos, objetos e vídeos) com abordagem multidisciplinar.
 
A sua pesquisa visual tem criado um corpo de trabalhos que encaram suas singularidades, transitando por entre a biografia, o confessional, a catarse ou práticas relacionais. Com ênfases e modos de operação diversos, traumas, desejos, fantasias e medos são recolocados em suas obras instaurando relações entre subjetividades que, por sua vez, configuram o eixo central da obra da artista.
 
Notari participou de exposições nacionais e internacionais, recebeu prêmios, realizou residências artísticas e possui trabalhos em coleções públicas e privadas. Dentre os quais podemos destacar: artista nomeada para o Prêmio PIPA 2018, Prêmio do Salão Arte Pará em 2014, Prêmio Funarte – Mulheres nas Artes Visuais em 2013 o Prêmio Bolsa de pesquisa no Salão de Arte Contemporânea de Pernambuco em 2004.
 
Suas principais exposições individuais incluem “SORTERRO Cap. 5”, Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães – MAMAM (Recife, PE, 2014); “Rire pour Moi, 2009, Galeria da École Supérieure d’Art d’Aix-en-Provence (França, 2009); “REDENTORNO, Galeria Vicente do Rêgo Monteiro, Fundação Joaquim Nabuco – Fundaj (Recife, PE, 2008); “Diário de Bandeja” Galeria Amparo 60 (Recife, PE, 2008); “Symbebekos”, Galeria Fayga Ostrower, Funarte (Brasília, DF, 2004).
 
Das exposições coletivas destacam-se: “Bienal Del Sur: Pueblos en Resistencia”, Museu de Belas Artes de Caracas (Venezuela, 2015); “Transperformance 2 – Inventário dos Gestos”, Oi Futuro Flamengo (Rio de Janeiro, RJ, 2012); “Metrô de superfície”, Paço das Artes (São Paulo, SP, 2012); “Festival Performance Arte Brasil”, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM (Rio de Janeiro, RJ, 2011); “Tripé/Escrita”, SESC Pompéia (São Paulo, SP, 2010); “Rumos Itaú Cultural de Artes Visuais (São Paulo, SP, Rio de Janeiro, RJ e Salvador, BA, 2009); “Territoires Transitoires”, Palais de la Porte Dorée (Paris, 2005); “O Corpo na Arte Contemporânea Brasileira”, Itaú Cultural (São Paulo, SP, 2005).
 
Possui trabalhos em acervos particulares e institucionais, a exemplo do Museu de Arte do Rio (MAR, Rio de Janeiro), Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães (MAMAM, Recife), Coleção do Banco do Nordeste (CCBNB, Fortaleza), Fundação Rômulo Maiorana (Belém), Museu da Universidade Federal do Pará (Belém), Fundação Cultural GUEES – Los Angeles – EUA.